SÉCULO XXI, O DESAFIO DE RECURSOS HUMANOS…COMO ENCONTRAR O CAMINHO

Posted by:

No século XX falávamos em mudanças, mas, no século XXI falamos em transformação. O mundo que conhecíamos não existe mais, as mudanças são aceleradas, cognitivas e disruptivas.

Inteligência artificial, engenharia genética, robótica, física quântica, neurociência, avanços tecnológicos constantes, maior longevidade das populações, literatura digital, globalização conectada, crises econômicas, instabilidades sociais, mudanças nas relações de trabalho e no trabalho, tudo isto afeta a sociedade, as organizações e as pessoas.

Não há tempo para ficar paralisado, manter o pensamento fixo e permanecer na zona de conforto, são novos tempos, que exigem uma nova modelagem de todos.

Nos últimos anos, assistimos o desaparecimento de grandes organizações e de várias profissões e também vimos surgir organizações diferentes, que ousaram a desenhar seu modelo de negócio no improvável, aparecerem e transformarem a relação com as pessoas, a relação com os clientes e a relação com a sociedade, propondo uma forma nova de trabalhar, de obter propostas de valor envolventes para os clientes, incentivando o pensamento exponencial, resumindo criaram uma nova forma de entender, fazer, melhorar continuamente, os negócios e obter resultados extraordinários.

Hoje, quando procuramos as empresas mais atraentes do mundo, segundo pesquisa do LinkedIn, encontramos Apple, SalesForce, Facebook, Google, Amazon, Microsoft e Uber, a mais velha destas organizações tem 42 anos e se olharmos para elas, superficialmente, observamos inovação, tecnologia, conexão global, proposta de valor diferenciada para os clientes e um modo diferenciado de lidar com pessoas.

Segundo, outra pesquisa, 2017 Workforce 100, a melhor organização em excelência de Recursos Humanos é o Google e a segunda o Facebook, organizações com menos de 20 anos mercado. E sabemos que trabalham as pessoas de um modo muito diferente, não é mesmo?

Diante deste cenário, podemos concluir que as organizações que se mantiverem tradicionais e tiverem suas pessoas no mindset fixo, não estarão presentes no século da transformação por muito tempo.  Nosso século, requer inovação, propósito, significado, proposta de valor, sustentabilidade, adaptabilidade, numa onda de ação e reação constante.

O desafio das organizações é evoluir um modelo de negócio com propósito, que propiciei significado no trabalho para as pessoas, uma relação que gere uma vivência de valor positiva para os clientes, uma ação sustentada com o meio ambiente e que contribua para um mundo social melhor.

 

Se o desafio das organizações é este, desenvolver as estratégias de pessoas e atender a este novo momento organizacional, é o desafio e o propósito da área de Recursos Humanos, talvez, olhando para dentro e analisando o que está fazendo com tudo que tem construído até agora e o que tem potencial para mudar ou expandir, colaborando com as novas necessidades do negócio ou até com ideias, que ainda não foram pensadas.

Quando pensamos em pessoas, pensamos nos jovens, mas, temos de entender que a nossa população com mais de sessenta anos hoje, é ativa, é digital, é inovadora e que a nossa legislação previdenciária mudará, então o nosso público é maior e de diferentes gerações. Quando falamos em lideranças e pessoas, hoje, temos as que buscam significado, comunicação fluida, liderança inspiradora e positiva, porém, temos, as pessoas conservadoras, que precisam entender a necessidade das mudanças e aceitar o novo, aqui vale a frase, “temos velhos de 20 anos e jovens de 70 anos”. Enfim, apenas mais alguns detalhes desta missão.

O desafio de Recursos Humanos é encontrar e usar, as metodologias, as ferramentas e as tecnologias, mas, principalmente tocar a alma humana:

  • Criar conexões funcionais;
  • Criar a visão e envolver, o comprometimento, o conhecimento e a comunicação do propósito, da missão, dos valores organizacionais;
  • Criar novas formas de estruturas organizacionais menos hierarquizadas e mais colaborativas;
  • Desenvolver autonomia, intraempreededorismo, autocontrole, autoconhecimento e autogestão nas pessoas;
  • Formar lideranças inspiradoras, positivas, empoderadas para liderar equipes de alta performance;
  • Proporciona um sistema de atuação flexível, adaptado conforme a necessidade organizacional;
  • Propor um sistema de remuneração e reconhecimento diretamente ligado ao propósito das pessoas e da organização;
  • Ser o catalisador das mudanças, das inovações que façam as pessoas ser a maior vantagem competitiva da organização.

A área de Recursos Humanos assume, definitivamente, o seu papel como centro de resultados, com o mindset da evolução, direcionado as ações para atrair, desenvolver, remunerar e reter pessoas, de forma que possam alinhar a sua vida pessoal e profissional com propósito ao propósito da organização.

Como trilhar este caminho e entrar neste desafio:

  • Assumir o seu papel na estratégia, transformações e relacionamentos.
  • Usar a escuta ativa e entender perfeitamente o que a suas pessoas e seus líderes falam e esperam.
  • Conhecer, intimamente, o negócio, a cultura, a visão, a missão, os valores, as crenças, as oportunidades, as ameaças, necessidades etc.
  • Assumir a estratégia, entendendo o cliente interno e conhecendo profundamente a organização, só assim, se faz possível prever as necessidades de pessoas e criar as ações para tê-las no momento certo.
  • Se as organizações são as pessoas e as pessoas desempenham diversos papéis e possuem diversas afiliações na sociedade, então, cabe ao RH entender esta sociedade, as mudanças e transformações que estão ocorrendo e preparar-se internamente para esta atuação.
  • Estimular a rede de conexões internas, ambientes inovadores, harmoniosos, produtivos e ser o principal ativo desta proposta, sendo uma área parceira e colaborativa.
  • Desenvolver líderes inspiradores, positivos, estimuladores, que entendam de negócios, comunicação e pessoas, que possam desenvolver equipes de alta performance.
  • Buscar e desenvolver novas metodologias, ferramentas de desenvolvimento humano, que permitam um desenvolvimento com significado, conexão e troca de experiências no ambiente organizacional.
  • Criar oportunidades para que as pessoas desenvolvam seu potencial interno, competências, pensamento exponencial e transforme em novas habilidades, ações e resultados, aprender a levar o profissional do estado atual para o estado desejado.
  • Criar práticas de Recursos Humanos que impactem no orgulho de pertencer e transborde para fora dos limites organizacionais.
  • Manter-se alinhado com tudo que acontece no ambiente organizacional e fora do ambiente organizacional, estando preparado para criar oportunidades e soluções.

Com o mindset do crescimento e o propósito de ser um centro de resultados com pessoas, utilizando todas as ferramentas e ações que um negócio usa para atingir o seu objetivo: planejamento, meta, ação, medição, melhorias, reação e resultado, entendendo, a essência do cliente interno e dando-lhes experiências positivas e realizadoras, seja para as pessoas, seja para  a organização, Recursos Humanos estará alinhado as demandas atuais e as que ainda estão para chegar.

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
0

About the Author:

Administradora de Empresas, especialista em Liderança e Gestão de Pessoas associada a área de Negócios, Master Business and Executive Coach, Professional and Self Coach pelo Instituto Brasileiro de Coaching, certificadas pelos órgãos internacionais: Global Coaching Community, European Coaching Association, Metaforum International,Behavioral Coaching Institute, International Coaching Council)e International Association of Coaching. Practitioner em Programação Neurolinguísitica pelo Elsever Institute , certificada pelos órgãos internacionais:The Society of Neuro-Linguistic Programming, The Society of Neuro-Linguistic Programming - Richard Blandler. Liderança e Gestão em Recursos Humanos ligado as áreas de negócios, atuando há mais de 20 anos na área de Desenvolvimento Organizacional, e Humano, tendo desenvolvido e liderado projetos e em grandes empresas, entre eles Martins Comércio e Serviços de Distribuição S.A, Grupo Air Liquide, BSE . Forte experiência em todos os subsistemas de Recursos Humanos e sua aplicação para transformação e potencialização de resulttados, através das pessoas. Coach para construção de negócios e reestruturação de Organizações Coach de Executivos, Liderança e Carreira.Consultora para projetos Organizacionais e Pessoas. Diretora de Expansão e Regionais da ABRAPCOACHING - Associação Brasileira dos Profissionais de Coaching. Autora da Coluna de RH do jormal Correio de Uberlânda de 1998-2001, artigos na Revista ProCoaching, entre outros.
  Posts Relacionados

Adicionar comentário