Pessoas – Capital Humano ou Capital de Risco, a hora da decisão.

Posted by:

Já faz um bom tempo, que o mundo corporativo descobriu que as Pessoas são as Organizações e, portanto, o Capital Humano é estratégico. Porém, esta descoberta e as tentativas de fazer este capital virar a resposta para o crescimento organizacional, nem sempre acompanharam as necessidades de transformações e mudanças, que as organizações precisam para se manterem ou crescerem, muitas vezes, pessoas, passam a ser um capital de alto risco.

Muitas formas de trabalhar as pessoas surgiram e muita tecnologia foi empregada para atrair, selecionar, desenvolver e reter o Capital Humano, só que não, pelo simples fato, de que todas estas novas variáveis foram disponibilizadas e aplicadas na estrutura tradicional, hierárquica, pesada, com informações top-down,  orientadas para resultados financeiros,  planejada a partir do passado para o futuro, intolerantes ao erro, engessadas nos processos, procedimentos  e modelos, lerda na tomada de decisões, foco para dentro e não para fora, dependente de inovações internas, apoiadas no status quo e sustentada no poder dos cargos, onde prevalece o crachá, apoiado pelo ego e amor ao poder e não o talento, sustentado por ideias diferentes e paixão pela transformação e caminhos novos.

Então, como desenvolver o potencial, desabrochar competências e habilidades do capital humano, necessárias para atuar no Século XXI, com a mentalidade baseada em um padrão fixo, incapaz de ver as deficiências, produzir melhorias reais e não rasas, de promover inovações expandidas e ter uma orientação de resultados através de pessoas, sejam colaboradores, fornecedores, clientes?  Como implementar o presente onde o passado é a única visão?

A resposta é  identificar o estado atual da organização e ver para onde quer ir, entender a sua singularidade e de cada pessoa,  agir continuamente, buscar a transformação,  adquirir a visão sistêmica do mundo, tecnologia acelerada, propósito transformador, oportunidades, ameaças e  entender, profundamente, de pessoas, compreender que os grandes líderes são aqueles que têm a coragem de enfrentar os maiores desafios com otimismo, clareza e agilidade na tomada de decisão, aqueles que inspiram o time e entendem de gente,  que não ficam paralisados diante do mundo volátil, incerto, complexo e ambíguo, que visualizam o destino e não apenas a estrada; que as pessoas extraordinariamente talentosas, muitas vezes não possuem os melhores diplomas, nem falam todas as línguas, mas, aprenderam com a vida a resolver problemas complexos, coordenar suas ações aos outros,  aprenderam a liderança de si mesmo e buscam resultados com paixão, através de um propósito e conexões; que os clientes podem até amar uma marca, mas, buscam produtos e serviços que proporcionem uma experiência diferenciada nas suas vidas e não terão remorso em remover uma organização que não atenda às suas  necessidades e interaja com ele; que  a informação  hoje  é democrática, mas, o conhecimento profundo de como usá-la é o que  produz resultados incríveis.

É complexo para as organizações mudarem os seus padrões, é difícil para os RHs assumirem o seu papel estratégico como realmente é requerido, mas, neste mundo de mudanças e inovações disruptivas, abraçado pelas tecnologias aceleradas, não dá para ficar parado, é mandatório compor uma estratégia com o pensamento do crescimento, a ponto de  pensar, que tudo o que fazemos hoje, será mudado com a evolução da tecnologia, inteligência artificial e robótica, internet global, mapeamento do DNA, longevidade, biotecnologia , neurotecnologia e muito mais.

Então, se faz vital uma gestão transformadora dos líderes, incorporação das novas competências de liderança e o desenvolvimento estratégico do Ser Humano, onde o potencial, talentos e vocação são expandidos, engajamento do propósito, dos valores e pensamento de proprietário do negócio e ampliação do conhecimento ao se conectar com os outros da sua rede.

Como vimos, o Século XXI trouxe avanços tecnológicos exponenciais, protagonismo do Ser Humano, um cenário de vida em Rede, informação acessível e isto impactou o mundo dos negócios e  altera a estratégia do  Capital Humano: para atrair e selecionar, avaliar o potencial, não só as experiências do passado,  buscar as pessoas que saibam fazer as perguntas certas, que tenham a visão no destino, que tenham valores e propósitos congruentes, desenvolvimento realizado através da gamificação e outras estratégias lúdicas e tecnológicas que proporcionem a evolução do mindset, jornadas colaborativas e o engajamento da vida pessoal e profissional com propósito; liderança Coach, que permita a expansão do olhar no Ser Humano Pleno, o aprender a aprender , ampliação de conhecimentos, conexões e isto é apenas a ponta do iceberg  que produzirá mudanças profundas e que não imaginamos ainda.

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
0

About the Author:

Administradora de Empresas, especialista em Liderança e Gestão de Pessoas associada a área de Negócios, Master Business and Executive Coach, Professional and Self Coach pelo Instituto Brasileiro de Coaching, certificadas pelos órgãos internacionais: Global Coaching Community, European Coaching Association, Metaforum International,Behavioral Coaching Institute, International Coaching Council)e International Association of Coaching. Practitioner em Programação Neurolinguísitica pelo Elsever Institute , certificada pelos órgãos internacionais:The Society of Neuro-Linguistic Programming, The Society of Neuro-Linguistic Programming - Richard Blandler. Liderança e Gestão em Recursos Humanos ligado as áreas de negócios, atuando há mais de 20 anos na área de Desenvolvimento Organizacional, e Humano, tendo desenvolvido e liderado projetos e em grandes empresas, entre eles Martins Comércio e Serviços de Distribuição S.A, Grupo Air Liquide, BSE . Forte experiência em todos os subsistemas de Recursos Humanos e sua aplicação para transformação e potencialização de resulttados, através das pessoas. Coach para construção de negócios e reestruturação de Organizações Coach de Executivos, Liderança e Carreira.Consultora para projetos Organizacionais e Pessoas. Diretora de Expansão e Regionais da ABRAPCOACHING - Associação Brasileira dos Profissionais de Coaching. Autora da Coluna de RH do jormal Correio de Uberlânda de 1998-2001, artigos na Revista ProCoaching, entre outros.
  Posts Relacionados